DO EDGE AO ENTERPRISE: Está pronto para gerir centenas de dispositivos Edge sem perder o seu tempo todo, ou o da sua equipa?

Que características deve ter um dispositivo para poder ser considerado «Edge»?

O termo Edge está cada vez mais presente no mundo da automatização. No entanto, o que se entende por Edge? Há várias opiniões e perspetivas. Do meu ponto de vista, o Edge não deixa de ser o que sempre conhecemos como «ao pé da máquina» ou «ao pé da fábrica», mas com uma componente da IdC que iremos abordar mais à frente. Deixo uma primeira reflexão: Será um PLC ou um PAC um dispositivo Edge? Se tivermos em conta as suas funcionalidades, tudo deveria indicar que é capaz de controlar o processo localmente e de servir dados do processo a montante. Contudo, na prática, um PLC não é considerado um dispositivo Edge em muitas áreas.

Que características deve ter um dispositivo para poder ser considerado «Edge»?

Antes de mais, um dispositivo Edge nunca deve tentar substituir a função do PLC. É para isso que servem os PLC, para controlar o processo! Deixemo-los continuar a fazer o seu trabalho. Por outro lado, devemos encarar os dispositivos Edge como a peça Gateway chave entre os elementos de campo distribuídos e o SCADA do centro de controle unificado, ou em alguns casos as plataformas na nuvem diretamente.

Portanto, os dispositivos Edge cumprem uma série de funcionalidades que os tornam essenciais nas arquiteturas da IdC:

  • Implementam capacidade de lógica e de decisão (nunca para substituir um PLC, mas para estar a um nível diretamente superior).
  • Têm a capacidade de ser instalados em dispositivos incorporados (com sistemas operativos Windows IdC ou distribuições de Linux).
  • Têm uma elevada capacidade de interoperabilidade, sendo capazes de comunicar a jusante com protocolos industriais típicos, e a montante com protocolos da IdC típicos como MQTT, HTTP-REST ou OPCUA.
  • Oferecem interfaces gráficas acessíveis na web para poder funcionar como HMI Local.

Falta apenas uma última característica-chave que diferencia definitivamente os dispositivos de campo padrão dos dispositivos Edge: a administração em massa.
Utilizando a tecnologia de contentores Docker, estes dispositivos são capazes de adquirir a partir da nuvem uma imagem completa do software, das suas dependências e do projeto a executar de forma automática e autônoma, permitindo que centenas de dispositivos realizem o carregamento de um projeto em massa. Sem deslocamentos e sem ter de interagir diretamente com eles. Isto é, o próprio dispositivo Edge verifica se existem alterações na imagem que deve utilizar e, se for esse o caso, é capaz de a descarregar de forma segura e automática, instalá-la e começar a funcionar em tempo de execução.

Se você precisa conectar todos seus dispositivos edge, na Becolve Digital, contamos com a solução AVEVA Edge, uma plataforma tecnológica projetada para oferecer aos usuários uma solução completa para monitoramento, controle e supervisão de processos industriais. Sua flexibilidade permite adaptação a diferentes tamanhos e necessidades, desde pequenas aplicações integradas até grandes projetos na nuvem.

Com o AVEVA Edge, os usuários podem criar aplicativos HMI/SCADA intuitivos e personalizados usando ferramentas avançadas de design, permitindo a visualização de dados em tempo real e o controle de processos a qualquer momento e em qualquer lugar. Além disso, possui recursos avançados de segurança que garantem a proteção de dados e conformidade com regulamentos.

Em resumo, o AVEVA Edge oferece tudo o que é necessário para se conectar a quase qualquer PLC ou controlador, criar aplicativos HMI remotos (para web, smartphone ou tablet) e desenvolver para uma variedade de sistemas operacionais.

Esperamos que tenha achado a publicação interessante. Se for o caso, partilhe-o! E se tiver ficado com vontade de saber mais, não hesite em contactar-nos. Segue-se o formulário de contacto.